Espero que vocês leiam até o final.

Toda vez que eu vou pra um almoço de família, parece que eu fico com mais fome. Eu perco o apetite de tão constrangedora que é a situação. Eu sento na mesa e consigo ver nos olhos de todo mundo que a única dúvida existente na cabeça deles é sobre minha sexualidade. Quem me dera que tudo pudesse ser como era antes.

Pois é, minha família inteira acha que eu sou gay. Deve ser pelo jeito que eu ando, ou porque eu sou legal, por isso eles acham que eu gosto de… homem.

E essas perguntas simplesmente não acabam. Todo dia alguém quer saber, mas o problema é que nem conseguem disfarçar a curiosidade: “e aí, como foi seu dia? você beija rapazes?“. Dá pra ver claramente que agora a opinião deles começou a se transformar em certeza, ainda mais porque acham que eu ter assistido Bob Esponja causou algum efeito colateral. Mas se eu for gay de verdade, quero que Deus me dê um derrame agoraiheign;vagjv–dfaaieujvira,

(Brincadeira! ) xD

Pior foi ano passado quando minha avó me deu um cartão de aniversário escrito “parabéns, meu menino gay”. Mas sério, gente: na adolescência eu não me dava bem com as meninas porque eu era tímido, não porque eu sou afeminado, nem porque talvez minha cor preferida seja o arco-íris todo (RISOS). Menos ainda porque eu tive um forninho de brinquedo quando era criança.

Enfim, acho que esse texto ficou meio contraproducente e agora todo mundo acha que eu sou gay de verdade. Mas podem ter certeza, eu sou tão hétero quanto o Neil Patrick Harris.

True story

Esse post foi uma tradução e adaptação da música My whole family thinks I’m gay, do cantor, comediante e gênio Bo Burnham. Cliquem aí no link pra ouvir a música e procurem pelos trabalhos dele internet adentro.

Anúncios