Você é do tipo de pessoa que se inscreve em vários canais no YouTube mas não sabe quando terá tempo para assistir aos vídeos? Então esse texto é para você!

Antes de mais nada, se você recebe notificações constantes no e-mail a respeito de novos vídeos, cancele esta opção. Isso era uma coisa que eu fazia até começar a usar a função “assistir mais tarde” dentro do próprio YouTube.

Você clica no reloginho do vídeo e ele vai pra aba lateral do site

 

O “assistir mais tarde” nada mais é que uma playlist só sua, onde você pode enviar todos os vídeos que você quiser ver depois.

Pois bem, aprendido esse primeiro passo, contarei agora porque eu parei de usar essa função. (É isso mesmo: ensinei o que fazer pra depois mostrar porque não fazer.) Quando você envia vários vídeos para essa playlist mas não consegue encontrar tempo para assisti-los, tudo isso se torna uma quantidade absurda de material que, convenhamos, nunca será assistido pelo simples motivo de ser humanamente impossível. A minha solução pra isso foi criar 3 playlists para me ajudar a organizar melhor esses vídeos. Poderiam ser apenas 2, mas em breve explicarei a terceira.

Novos e Antigos

Esses são os nomes das duas playlists principais que me ajudam a selecionar o que eu quero realmente assistir dos 180 canais em que eu me inscrevi (e de outros canais que eventualmente eu queira assistir um ou outro vídeo isolado).

Só uma observação: desses 180 canais, só uns 20 postam conteúdo frequente e a maioria é só uma vez por semana, então eu não fico tããão sobrecarregado com os vídeos.

A forma que eu uso para classificar um vídeo é simples: se ele tem menos de 2 meses ele é novo; se não, ele é antigo. Critério pessoal. E eu faço isso porque às vezes tem vídeos com recados ou updates importantes que em pouco tempo se tornam obsoletom, então eu acabo dando preferência a estes. Tanto que no momento em que eu escrevo esse texto, minha playlist de vídeos novos está zerada, enquanto a de vídeos antigos tem 17 vídeos (sendo que o mais antigo foi postado em 2011 e é um episódio de Chapolin).

“Mas ok, Danilo, já entendi. Agora conta qual é a terceira playlist”, você deve estar pedindo mentalmente.

Bom, a terceira playlist é a de…

Música

Sim, música! Isso porque eu assino alguns canais de artistas independentes cujas músicas têm os direitos autorais liberados e assim eu posso usá-las quando eu for editar meus próprios vídeos.

E a razão para existir uma lista exclusiva para músicas é que eu posso simplesmente colocar todas para tocar e eu não serei interrompido por um vídeo não-musical.

É uma metodologia bem simples, se você reparar.

Antes de ir embora

Mas antes de finalizar, eu gostaria de fazer algumas considerações.

Inscrever-se nos seus canais favoritos é importante não apenas para os produtores de conteúdo que vivem pedindo isso, mas para você também receber as atualizações fresquinhas e recém saídas do forno. Por outro lado, clicar no sininho para receber notificações no e-mail ou no celular não é importante por dois motivos: 1) é chato receber notificações toda hora, e 2) geralmente esse sininho nunca funciona.

Já minha segunda e última consideração é: esqueça que as abas “início” e “em alta” existem. Geralmente elas são a página inicial do YouTube pra quem não está logado na conta e só exibem lixo ou material televisivo ou ambos. Se você realmente quiser ver coisas do seu interesse, foque na aba “inscrições” e coloque o seguinte link nos seus favoritos: https://www.youtube.com/feed/subscriptions. Dessa forma você sempre vai cair direto na página das inscrições e assistirá a seus youtubers preferidos sem a necessidade de clicar em sininho algum.

Creio que isso é tudo que eu tinha a dizer por hoje. Grande abraço, se inscreva no meu canal mas não clica em sininho nenhum não. ;)

Anúncios