Esse texto vai tratar sobre a cobertura e distorção da mídia sobre assuntos que geram conflitos desnecessários e não sobre o que é feminismo ou sobre o que as mulheres devem ou não fazer. Não vou me meter num assunto que não diz respeito a alguém que inevitavelmente não nasceu mulher (apesar de que até tenho amigas que são).

Bom, eis que essa “””notícia””” viralizou:

Isso nem notícia é

De acordo com o portal de cinema que eu me darei o direito de não divulgar o nome pra não render mais cliques para eles, o trailer mais recente de Mulher-Maravilha (Wonder Woman, 2017) trouxe um “feedback negativo incomum”. Segundo eles, alguns espectadores atentos “questionaram com veemência” o fato da personagem possuir as axilas depiladas.

Na minha humilde ignorância, questionar com veemência significaria gerar um debate intenso a respeito do assunto, que foi justamente o que não aconteceu.

Se você entrar na matéria – não entre, não precisa – verá uma incrível quantidade de TRÊS (3) tweets falando a respeito do assunto. Sério, parece que a pessoa que escreveu essa pseudo-matéria simplesmente saiu a procura de tweets que confirmassem uma opinião pessoal, coisa que até eu faço de vez em quando, apesar de não me meter a escrever um texto supostamente jornalístico a respeito.

O primeiro tweet que apareceu foi da @lesssthanzero que achou o trailer massa mas achou estranho que a Mulher Maravilha fosse depilada. Mas heyyyy!… Olha só: foi uma PIADA NO TWITTER!

“Honestamente, eu só tava tentando ser engraçada”

O segundo tweet foi… bom, foi praticamente a mesma coisa do primeiro. Não sei dizer se foi em teor provocativo ou se foi uma dúvida honesta. Aí vocês vão ter que perguntar pro @drugmonkeyblog.

Já o terceiro tweet foi realmente uma reclamação do @Icgans sobre esse “falso feminismo que aí está”, mas acho que ele acabou se arrependendo pois não só deletou o post como também seu perfil por completo.

Ainda para confirmar minha teoria de que o autor do post (que na verdade é uma adaptação de um blog gringo cujo nome começa com EPIC) simplesmente foi no search do twitter a procura desse conteúdo em específico, percebam que o número de RT’s somados não chegam a 20. Ou seja, não são tweets populares, que bombaram, que saíram em outras mídias nem nada do tipo.

Esse tipo de reportagem é um desserviço enorme para quem luta por qualquer causa que seja, pois foca numa ideia que nem mesmo foi desenvolvida, cria-se uma manchete (que é o máximo que o grande público vai ler) e com isso o discurso real é desacreditado.

Ou você acha que os comentários no post desse blog de cinema só tem belas palavras? Coincidentemente a maioria são de homens falando mal do comportamento das mulheres e “como as feministas se preocupam com coisa inútil”, como já era de se esperar.

E outra: o que eu entendo por feminismo é que é uma causa que defende que as mulheres sejam livres para fazerem o que quiser a respeito delas mesmas. UAU! Direito de serem livres! Que coisa audaciosa! Quem elas pensam que são? Homens brancos??? (Sério, gente, parem de implicar com elas por causa de uma luta honesta.)

A propósito – e correndo o risco de dar um tiro no meu próprio pé por dizer isto – eu sei que existem mulheres que se dizem feministas e não concordam nem um pouco com essa vibe de depilação, assim como existem pessoas muito distintas no mundo que defendem a mesma causa, mas com vieses diferentes, sejam elas sociais, políticas ou econômicas. Mas visto isso, eu não posso deixar de fazer a comparação entre quem se julga capaz de interferir no direito individual e os animais revolucionários de uma certa fazendinha: vocês não acham estranho essa coisa de “olha, todo mundo tem o direito de fazer o que quiser com os próprios corpos… menos depilar, senão você tá fora do clubinho”? Ou até mesmo “essa aí se diz feminista mas anda toda maquiada e com a depilação em dia”. Pois é, provavelmente você já ouviu algo assim. Uma filosofia que propõe a liberdade até certo ponto, não é exatamente libertária não é mesmo?

Uma última coisa!

Sabe o que é mais estranho que a Mulher Maravilha depilada (o que não é nada estranho visto que até no Egito e na Grécia Antiga já faziam isso)?

Esse cara sem barba!

Mas ninguém questiona o homem branco hétero né, gente?

PS.: eu já tinha começado a escrever esse texto – que inicialmente era pra ter sido bem mais curto – quando começaram a retuitar a @hey_mika e eu vi que nossas opiniões são iguais. Se quiserem ver o que ela tem a dizer, a hora é essa.

Anúncios