Dando continuidade aos reposts do Cine Fanático, postarei hoje a minha resenha (?) do filme Fanboys.

Vitrine do "De Volta Para o Cinema".

Fanboys se passa em 1998, “em uma galáxia não tão distante” como diz o início do filme, preparando os espectadores desavisados para o que eles assistirão dali para frente. A história é sobre um grupo de quatro amigos (Eric, Linus, Hutch e Windows) fanáticos por Star Wars que planejam, desde que eram crianças, fazer uma viagem até a Califórnia e invadir o Rancho Skywalker – a fortaleza de George Lucas – para assistirem em primeira mão ao “Episódio I – A Ameaça Fantasma”.

"Sent from my iPhone" (risos)
“Sent from my iPhone” (risos)

Acontece que Eric, o que se manteve mais afastado do grupo, agora trabalha na loja de carros do pai e acaba se achando mais responsável e adulto que os outros e diz que uma viagem dessas nunca aconteceria. No dia seguinte é abordado por Hutch e Windows, que contam a ele que Linus tem câncer e não irá sobreviver até a estreia do filme, ao qual esperaram há 16 anos.

Pra quem não é familiarizado com Star Wars, houve realmente um hiato de 16 anos entre o Episódio VI – O Retorno de Jedi (lançado em 1983) e o Episódio I – A Ameaça Fantasma (lançado em 1999). Na verdade, os episódio IV, V e VI foram lançados nas décadas de 1970 e 1980 e, depois, entre 1999 e 2005 vieram os episódios I, II e III. Depois eu explico isso com calma, num outro texto talvez.

palm-countdown

Pois bem, Eric acaba aceitando o plano e eles vão viajar. Não vou contar o final porque esse filme é bem recente e, ao contrário de “Bill e Ted”, eu ficaria com peso na consciência em contar spoilers aqui.

Fanboys é basicamente um “road trip movie” que fala sobre amizade e, a cada cena, o filme só melhora: entre uma briga com fãs de Star Trek e uma noite em Las Vegas, muitas piadas são feitas ali envolvendo não só o universo do filme, como também outras obras de ficção científica e o próprio elenco. Em uma das cenas, Hutch estaciona sua van num restaurante beira-de-estrada chamado “Java the Hut”. Além de ser uma referência a um personagem de Star Wars (Jabba the Hutt), esse é o mesmo nome do restaurante da série Veronica Mars onde trabalha a personagem de Kristen Bell, que também está nesse filme.

java the hutt

Os diálogos também são sensacionais. Em uma cena, durante a viagem, Eric e Windows (personagem cujo visual foi inspirado no de George Lucas dos anos 70) estão conversando sobre Harrison Ford ter interpretado Han Solo e Indiana Jones. “Ele nunca fez um filme ruim”, diz um dos fanboys. Nesse momento, numa tomada feita do lado de fora da van, aparece o outdoor de “Seis Dias, Sete Noites”, um dos filmes mais fracos de Ford. Outro diálogo tão sutil – e tão genial – quanto esse é quando Linus vira pra uma médica (interpretada por Carrie Fisher, a Princesa Leia dos filmes Star Wars) e diz que a ama. “Eu sei”, foi a resposta – a mesma dita por Han Solo e Leia nos Episódios V e VI, respectivamente.

seis dias sete noites

A trilha sonora também é excelente. Músicas como Tubthumping, do Chumbawamba; Tom Sawyer, do Rush; e até Fuego, do Menudo (!) ambientam o filme.

E se você ainda não se convenceu, que tal o elenco de apoio com Seth Rogen fazendo três personagens diferentes; Danny Trejo; Jason Mewes e Kevin Smith (eternos Jay e Silent Bob); Billy Dee Williams e Ray Park (Lando Calrissian e Darth Maul, de Star Wars, respectivamente) e William Shatner traindo o movimento?

FanboysEsse filme é um dos meus favoritos. É uma comédia que diverte mesmo se o espectador não conhece muito dos filmes citados anteriormente, os personagens se conectam muito bem, as cenas de ação e de personagens “entrando em apuros” são engraçadas, as de romance (ou quase isso) são surreais e a premissa é ao mesmo tempo a maior piada de Fanboys: um grupo de amigos na maior expectativa para assistirem um filme que todos sabem que foi uma porcaria.

O filme foi dirigido por Kyle Newman e lançado em 2009. Indico a todos.

Anúncios