Nem era pra eu tá escrevendo isso agora, mas como no mês passado eu não bati minha meta de três textos por mês, cá estou eu enrolando vocês começando o primeiro texto do segundo semestre do ano de 2013.

Mês passado cheguei à conclusão de que eu já estava acomodado demais no meu emprego e que já era hora de sair e arrumar uma outra fonte de renda. Infelizmente ainda não consigo arrumar nada na minha área acadêmica porque 1) ainda não me formei em jornalismo, e 2) eu ainda não sei fazer nada muito complexo em termos de edição de vídeo (meu hobby e minha desejável futura área profissional).

O que eu tenho feito até agora, pra quem não lembra, tem sido trabalhar numa loja de roupas em que eu não consigo mais evoluir (sem falar que eu já tô ficando de saco cheio de pelo menos metade do pessoal que trabalha lá). A maioria dos funcionários legais acabaram saindo nos últimos 10 meses – tempo em que eu tô trabalhando lá – só pra vocês terem uma noção da rotatividade lá. Além disso, tem o fato de eu não trabalhar em horário comercial, o que fode mais ainda com minha vida social. Não que eu seja uma pessoa que goste muito de sair, mas sim, sair de vez em quando é legal e eu ainda quero viajar nos finais de semana pra visitar minha família, coisa que se torna praticamente inviável trabalhando de 16h às 22h30, inclusive aos sábados.

Pra resumir, tudo que eu consigo lá é me foder de uma forma ou de outra.

Então, como eu ia dizendo, mês passado eu resolvi tomar uma atitude e me inscrevi num concurso público da BHTrans cuja carga horária para a função pretendida tem 4 horas semanais a menos e o salário é, no mínimo, duas vezes maior.

O texto pode estar ficando meio sem nexo, mas acho que até o final vocês me entenderão. A razão pela qual estou escrevendo isso aqui é só porque hoje eu fiquei meio (pra não dizer “muito”) puto com pessoas e situações diversas dentro da loja, mas prefiro não me prolongar nesse assunto.

Pra falar a verdade, hoje não foi o único dia que eu fiquei puto. Isso já vem acontecendo há algum tempo, mas como eu preciso pagar minhas contas, eu ainda não pedi demissão. Mas dentro de cinco semanas eu faço isso, anotem aí.

Daqui cinco semanas sai o gabarito da prova do concurso e tendo ido bem ou não, sairei da loja.

É isso aí. Cinco semanas. Trinta e cinco dias. Sem falta.

A foto acima é um recorte de uma foto do Flickr chamada “O dia que eu pedi demissão”, tirada por Vitor Pose Martinez. Clique nela para ver a imagem original.

Anúncios