Olá, pessoal. Não sei se vocês sabem, mas atualmente o blog tem 63 postagens publicadas (64 com essa). Acontece que se não fosse por uma cagada minha, ele teria bem mais do que isso.

A história é que uma vez, por frescura vergonha das coisas que eu já tinha postado aqui, acabei apagando todos os meus posts ao invés de torná-los visíveis apenas para mim. Até aí tava tranquilo, afinal as postagens iriam para a lixeira e ainda ficavam acessíveis a mim.

O que eu não sabia é que isso era só por um determinado tempo. Depois disso o WordPress apagava tudo automaticamente.

Em tese eu estava ferrado, pois todos os meus textos produzidos desde 91 desde 2009 teriam sumido para todo o sempre. Porém, devido a um golpe de mestre (e um pouco de egocentrismo também), passei a assinar os meus próprios feeds e, com isso, tudo que eu publico acaba parando no Google Reader, que pra quem não conhece é como se fosse uma caixa de entrada, só que em vez de e-mails ou recebo postagens recentes dos sites que eu sigo. É uma ferramenta bastante útil, pois você não precisa entrar em 200 sites por dia para ver se postaram algo novo por lá.

“E como isso se encaixa com os textos desse blog?”, você perguntará.

É o seguinte: mesmo eu tendo deletado os textos, eles continuam aparecendo no histórico do Reader, então o que eu teria que fazer era copiar os textos de lá e colá-los novamente aqui no blog. Só que esse é um trabalho um tanto quanto demorado, afinal tenho que ler tudo de novo, pegar as imagens que ilustram os textos, formatar a porra toda e então republicar na data original.

“Tá, entendi. Mas por que você tem que fazer isso até julho?”

Porque, meu amigo, ontem a internet teve a notícia mais triste depois da morte do Hugo Chávez e do Charlie Brown Chorão: O GOOGLE READER VAI MORRER TAMBÉM!

É isso aí, o Google cagou no pau mais uma vez e vai descontinuar seu serviço. Em 2011, eles já tinham feito uma mudança no visual e removeram a opção de compartilhar postagens dentro de uma versão pública do Google Reader de cada usuário, que funcionava mais ou menos assim: se eu quisesse que alguém também lesse algo interessante dos meus feeds, eu o compartilhava numa página chamada “Reader do Danilo”, por exemplo. Lembrando que hoje em dia até existe uma função parecida que é o compartilhamento dentro do Google+, mas sejamos francos: ninguém tá usando aquela merda.

Então basicamente é isso: até julho vocês verão postagens mais antigas sendo publicadas no twitter e no facebook. É só acompanhar lá pra ver.

Anúncios