Acabei sair na rua pra buscar um sanduíche que foi degustado em 5 minutos. Também fui comprar um tylenol e umas pastilhas pra garganta. Já tô até sentindo os efeitos da overdose de bacon e remédio. Mas dane-se, vamos pro que realmente importa.

Tá frio pra caralho. Foi só eu colocar o pé na rua que um gigante de gelo invisível me nocauteou com um roundhouse kick no meio da cara. E isso só faz eu me lembrar daquele período de um ano e meio em que morei em Diamantina e passava frio quase todo dia. Aquela cidade já é fria por si só, agora imagina eu tendo que voltar da aula que acabava às onze da noite. Agora pense nos dias em que chovia. Pois é. (E o pior que isso não me impediu de percorrer à pé um trecho de 7km da faculdade até minha casa.)

Eu bem que queria esquecer aquela cidade, apesar de dois ou três momentos interessantes que eu vivenciei (e que não envolviam drogas, parem de pensar essas coisas por causa do post anterior). Acontece que minha memória sensorial – se é que isso existe – não me deixa esquecer de lá. É só esfriar um pouco mais – segundo o site Clima Tempo, hoje faz 17 graus em Belo Horizonte – e eu já começo a me tremer todo.

Mas não é só o frio que me faz lembrar de Diamantina. A lembrança vem a partir de todo um contexto de estar na rua, ir buscar junk food num trailer sujo e estar com meus dedos congelando dentro dos bolsos da minha blusa de frio listrada de hipster mas que é a minha favorita justamente por ter bolso grandes e confortáveis o suficiente para minhas mãos.

Gordo Burguer, o quebra-galho de algumas noites em Diamantina.

E por falar em comer junk food em Diamantina, por que diabos em todo lugar eles sempre colocavam UMA LATA DE MILHO no sanduíche? Sabe quando o sanduíche vem quente mas quando você dá a primeira mordida sua mandíbula congela? Então. Eu adoro milho, mas o exagero ali não era brincadeira…

Então é isso… Por hoje é só. Não tenho nenhuma epifania ou história genial pra contar (eu já tive algum dia?) mas é porque no último mês eu tive um bloqueio criativo que me fodeu por completo e sem beijo na boca impediu de escrever, e como eu tava com isso na cabeça, resolvi postar para que o blog não fique abandonado.

Se gostou dessa bosta assim mesmo, curte a página lá no Facebook que isso me ajuda a espalhar a palavra para a comunidade da fé em Cristo.

PS.: Texto escrito numa noite em que eu estava com sono e doente. Nem vou pedir desculpa pelas merdas escritas.

Anúncios