Dia desses me deparei com a imagem abaixo no Facebook de alguém (e que se multiplicou para dezenas de outros perfis):

Vejam bem: os sofativistas são pessoas que, assim como eu e você, querem mudar o mundo de alguma forma. O grande diferencial dessas pessoas é que 1) elas tentam te cataquizar A TODO CUSTO com a filosofia ou doutrina deles, 2) elas querem fazer isso sem sair de casa e 3) se você não concordar, eles tentam deixar sua consciência pesada de alguma forma.

Quando Steve Jobs morreu, o mundo sentiu um pesar imenso pois sabia que estava perdendo além de um gênio, um ser humano muito talentoso. Eu, por exemplo, fiquei extremamente chateado quando soube do seu falecimento. Soube disso através do twitter e fiquei entrando em sites e mais sites de notícias até que alguém postou o link da Apple. E lá estava a homenagem a Jobs.

Aí vem um indivíduo e publica que não consegue sentir pena dele porque no mundo morrem milhares de crianças todos os dias e “ninguém” derrama uma lágrima. Meu amigo, mesmo se uma tristeza excluísse a outra, eu continuaria a sentí-la pela morte do Steve Jobs. O cara foi um inovador e mudou absurdamente o mundo onde vivemos. Não é porque pessoas morrem todos os dias que eu preciso sentir pena de todas elas. A morte – infelizmente – faz parte da vida e, se eu for ficar triste, que seja por alguém próximo a mim ou alguém realmente importante.

As criancinhas estão morrendo de fome na África? É uma pena, realmente. Mas por que você não se muda para lá e abre uma ONG ao invés de perturbar seus “amigos” no Facebook? Saiba que fazendo isso, você contribuirá muito mais para a humanidade do que quando você faz essa massagem no ego se ausentando da culpa. Se você realmente se preocupasse, você estaria fazendo algo de útil, e não publicando mensagens para uma dúzia de amigos.

Como disse o @roniuj, “toda e qualquer forma de ação organizada na internet que não tenha como objetivo criar uma ação REAL no mundo REAL é sofativismo babaca“.

Sim, meu caro. Você não vai acabar com a fome no mundo postando fotos de crianças subnutridas, não vai acabar com a pedofilia trocando seu avatar por um desenho animado, não vai tirar um político corrupto do poder emplacando uma hashtag nos trending topics e você não vai mudar o mundo se não sair do Facebook.

Faço minhas as palavras de um amigo: Quase nada me move pra alguma coisa. Mas nego que quer que eu dê comida pra todos os africanos tem que estar de sacanagem. Eu sei que o mundo é uma merda mas ficar enchendo o saco de todo mundo é desnecessário, TODO MUNDO tem problema.

Por falar nisso, me lembrei de uma frase usada por muitos pseudo-altruístas quando reclamamos de coisas triviais:

“Tanta gente morrendo de fome no mundo e você aí reclamando da vida.”

Eles adoram essa frase, talvez seja por causa daquele item que eu mencionei no começo do texto (eles querem pesar sua consciência). Após ouvir isso tantas vezes, já desenvolvi uma resposta padrão:

A fome vai sempre existir. Eu reclamo do que eu quiser.

Eu tento ser o menos rude possível e tento não chocar essas pessoas com a realidade, mas parece que a melhor maneira ainda é o tratamento de choque.

Aí você me pergunta o que EU estou fazendo para mudar o planeta. Pra ser sincero, eu não estou fazendo merda nenhuma. Acontece que eu sou realista e sei que Super-Homens não existem. Se tem algo que eu possa melhorar, tem que estar ao meu alcance. Não adianta querer acabar com a fome de um continente inteiro se você não ajuda nem o mendigo que dorme todo dia na esquina da sua casa.

Quer contribuir? Cresça e tente melhorar sua própria condição de vida. Não seja um peso para sua família, arrume um emprego. Leia e saiba em quem votar da próxima vez. Pague um almoço para os pobres da sua rua. Isso não vai mudar o mundo inteiro, mas vai mudar o dessas pessoas.

.

Leituras complementares:

* O que é sofativismo?

* Você não vai mudar o mundo pela Internet

Anúncios