Estou em casa sem nada pra fazer, lendo um milhão de feeds atrasados e observando as bobagens que vocês postam no twitter. E o melhor: de pijama até agora.

Fiquei mais de uma semana planejando um texto imenso sobre como meu 2010 foi um dos melhores anos da minha vida e blá-blá-blá. Achei que ficou uma bosta e agora tô escrevendo esse aqui. No fim das contas, não sei porque achei esse ano tão legal afinal não fiz nada demais.

Meu projeto do Nerdtrack virou um site; passei no vestibular um monte de vezes (mas acho que isso foi no final de 2009 – nem lembro); fui morar “longe” dos meus pais (127km. LOL); fui pra faculdade, da qual pensei em desistir 2 vezes (e devo pensar em desistir mais umas 3 ou 4 vezes ao longo do curso); morei um semestre numa pensão; morei outro semestre numa república com mais três colegas do ensino médio; montei um podcast; conheci gente legal por causa do podcast; garanti minha ida para a Campus Party em 17 de janeiro de 2011; comprei um monte de coisa pela internet (2 camisetas, uma caneca, uma HQ do RyotIras, a coleção do Guia do Mochileiro e um HD portátil); troquei meu celular que já tinha sete anos por um novo; quase fui no show do Limp Bizkit em Belo Horizonte, onde os integrantes da formação original iriam se reunir novamente (o show foi cancelado porque o vocalista, Fred Durst, estava com problemas de saúde); ganhei na Mega Sena da Virada e contei um monte de mentiras internet a fora.

Foi isso.

PS.: O trecho sobre contar mentiras na internet se limita apenas à história de ganhar na Mega Sena, favor não me sequestrar. Grato.

Anúncios